“Quando”

“Quando”

.
quando o centro
é o caminho
quando umbigo
já é ninho

amor, carinho

quando dentro
a vida brota
quando fora
parece torta

sentir, sozinho

meditar corpo casa
quando os pés
precisam ser asas
quando marés
tocam lava em brasa

confia, redemoinho

lua cheia vermelha
quando o sol
tem saudade da noite
quando nasce
novo ano no horizonte

dia fora do tempo
tempo fora dos dias
quando nós: alegria

silêncio vazio
suave sopro som
quando o grande mistério
dá o tom

uni verso, conexão

somos pés
somos chão

mesmo quando o sim
é feito de não
mesmo quando acaso
é cheio de, então.

somos pés
somos som
somos chão
.

Gabriel Kieling