“Escritos de Punho Erguido | 02”

“Escritos de Punho Erguido | 02”

Essa coisa de esquecer a história
é um problema sério
de uma parte da pátria
branca e sem memória

Quantas Claudias, Rafaels, Amarildos?
Quantos mais inocentes chamados de bandidos?
E quantos bandidos brincando de inocentes!

História, fí, é arriscado!
É preciso ter sangue frio e coragem
Pra encarar todo o dia o passado!
Pois desde que o Brasil foi invadido
Todo dia tem sangue derramado!

Pelos opressores, fascistas,
pelo seu vizinho ou pelo estado!
Tudo legitimado!

“Legítima defesa” deveria ser pros direitos humanos!
Queria ver se sobraria um cunha, um bolsonaro, um moro mano!

O sistema já se provou insustentável
Mas apesar de tanto senhor de engenho
ACABARAM SEUS ESCRAVOS!
Seus dias, estão contatos!

Resistimos, Existimos!
Nosso Povo, Nossa Cultura, Nossa Luta!
POR NOSSOS ANCESTRAIS!

Gritaremos em cada esquina se preciso:
– GOLPE NUNCA MAIS!

Vermelho é a cor do meu sangue
E cor da camisa dos meus iguais
Escute atento: Nossas palavras são letais!
E ao mínimo reflexo dos teus sinais…BUM!

Retomaremos todas tuas fazendas em nossas terras
Erguidas com cimento e sangue de guerras!
Mortes diárias! Canalhas!
Ainda acha que não comete falhas…

Veste verde amarelo pra gritar petralha
Mas é o próprio corrupto
Com o pescoço na navalha!

Convoco todos os nossos antepassados
índios, negros, caboclos, hindus
Toda nossa força ancestral!
Convoco todos que lutam ao lado de Sonia
Maura, Maria, Mayá, Nadia, Alapity, Nailton, Cacique Babau!
Zumbi, Lampião, Chico, Paulo Freire, Lula, Marçal!

(…)
Convoque mesmo seu Buda
Mas de PUNHO ERGUIDO!
Coragem é mais que perigo

Convoque mesmo seus ancestrais!
NÃO PASSARÃO!
Mas só JUNTOS,
SOMOS e PODEMOS MAIS!

Gabriel Kieling